O Cristo não é o Messias

De duas, uma: se Jesus, o Nazareno, existiu historicamente, ou ele era o Cristo ou era o Messias. Não poderia ser as duas coisas, pois, enquanto etimologicamente o termo grego “Cristo” fosse equivalente ao hebraico Messias, não é verdade que o fosse na essência.

Nos dois idiomas (grego e hebraico, respectivamente), Cristo e Messias significam “ungido”. Jesus poderia ter sido mais um dos inúmeros messias de seu tempo, que vieram e que haveriam de vir ainda. Mas, como Chrestos ou Cristo, Jesus era outra pessoa.

O adjetivo Cristo origina-se da palavra Crisma, ou “unção pelo Espírito”*. O Cristo, segundo as tradições gnósticas, não estava destinado a ser rei de Israel e dominar o Mundo, que era o que o Messias, “ungido” para a Realeza judaica, deveria ser.

Caravaggio-The-Supper-at-Emmaus-1600-01

O batismo não era uma prática judaica, mas pagã e grega. O sacerdotes da deusa pagã Cotitô, os baptas, é que instituíram a prática do baptismos, muito tempo antes de João (o Batista) e de Jesus. Os Essênios podem ter importado a prática para a Palestina, bem como a seita dos nazarenos, cujos ensinos misturavam gnosticismo egípcio, platonismo e judaísmo.

O sacramento que torna alguém verdadeiramente “cristão” é a Crisma, o “batismo de fogo” ou “unção pelo Espírito”, não o Batismo. Este era tão-somente um ritual de ablução simbólica de penitência pelos pecados, como a renunciar a eles e repelir as imundícies e tentações mundanas.

“Não coloca-se vinho novo em odres velhos” (Mt 9,17). No dia da sua condenação, Jesus disse a Pilatos que “seu Reino não é deste Mundo” (Jo 18,36). É um erro grave associar Jesus à figura do Messias político, salvador de Israel.

***

(*) A palavra “Cristo” significa “ungido” que quer dizer enviado, pois Cristo é o enviado do Pai para a nossa salvação. Nós somos chamados de cristãos porque somos seguidores do Cristo e enviados como Ele. A mesma origem tem a palavra “Crisma”. Crismar é o ato de ungir com óleo sagrado a fronte do crismando, que se torna também ungido, ou seja, enviado (CIC 1289). Fonte: Curiosidades Católicas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s